abril 10, 2015

Nesta semana, dia 06 de abril faz 25 anos que o filme Cry-Baby estreou nos EUA. No Brasil, ele estreou em 31 de agosto de 1990.
Cry Baby foi escrito e dirigido por John Waters, conhecido por filmes lado B BEM esquisitos e por ter gravado Hairspray que logo depois virou musical da Broadway e regravado nos últimos tempos.

giphy

John escreveu Cry Baby com o intuito de mostrar como era a diferença de classes na sua infância. Ele conhecia os “Farrapos” e os “caretas”. Aliás, ele mesmo diz que era um careta louco para ser um farrapo.
Ele adorava suas atitudes e comportamento, e a partir dai criou seus personagens.

Johnny Depp se inspirou em seu padrasto para fazer Cry Baby. Segundo ele próprio seu padrasto tinha sido um “motoqueiro dos brabos” em Chicago em 1940/50 e que ele rendeu muitas informações valiosas para criar seu “delinquente juvenil”. Além de influências de Eddie Cochan, Gene Vincent e o joven Elvis, claro.

Cry Baby é seu nome de farrapo. Ele é assim como muitos adolescentes foram na década de 1950, um garoto mal (no caso de Wade de bom coração), que tinha sua gang, seu colarinho levantado, sua jaqueta de couro, suas trapaças, sua caranga e só precisava de sua garota para fechar o circulo com chave de ouro.
O termo “delinquente juvenil” surgiu da psicologia popular naquela época pós II Guerra Mundial e se tornou extremamente ligada ao Rock‘n Roll. Toda a moda, comportamento e liberdade fez com que grandes músicos de Rockabilly da época fizessem músicas em que o termo “delinquente juvenil” fazia parte delas. E falando em música, Johnny não canta em Cry Baby, mas teve aulas de sincronia labial. Gravou fitas com sua voz, etc. mas, John Waters achou melhor deixar isso por conta dos dubladores. Felizmente Tim Burton nos presenteou com Johnny cantando em Sweeney Todd!

John Waters, em 2007, falando sobre a possibilidade de Johnny fazer sua própria voz em Cry-Baby. O canto de Johnny foi dublado pela lenda rockabilly James Intveld:

“Ele se ofereceu para cantar em sua própria voz. Eu sabia que Johnny estava em uma banda. Eu me lembro de ouvir uma fita, mas eu acho que nós estávamos longe demais. Eu não sei, talvez eu tenha tomado a decisão errada.”

Com certeza. Acho que ele se arrepende muito de não ter deixado Johnny cantar.

Nesta semana a people.com postou um artigo homenageando os 25 anos de Cry-Baby. Vale a pena conferir. Tem gifs maravilhosos e videos do filme.
Este post contém partes de uma resenha feita pela Karina no Blogdepplovers, que também vale conferir pois contém curiosidades sobre os bastidores, a coreografia, os beijos, etc.


2 Responses to “Cry-Baby – 25 anos!”

Rosa Maria

Filme emblemático, cult, importante demais! Será lembrado para sempre na história do cinema. E foi a primeira vez que Johnny surgiu como protagonista, pois Edward Mãos de Tesoura, lançado no mesmo ano, ainda demoraria alguns meses para ser lançado! Johnny está perfeito!

abril 10, 15 • 2:26 pm


Ro

Icônico, cult, inspirador para a gente ligada às artes. Feliz que fico de saber usufruir destas joias raras do cinema. Feliz que fico de ter amigos que compartilham do meu gosto. Modéstia bem à parte, ótimo gosto, por sinal!
É verdade, Johnny está perfeito.

abril 10, 15 • 11:37 pm


Comment Form