Dark Shadows – A novela que deu origem ao filme.

Esta semana foi divulgada mais uma imagem do filme, mostrando Barnabás Collins e Angelique Bouchard, personagens de Johnny Depp e Eva Green. Veja neste post.

Fomos buscar a série original e tentar entender como se desenrola a trama.
Ela foi exibida entre 1966 e 1971 durante 5 dias por semana, num formato semelhante às novelas nos EUA.

A série (na verdade foi uma novela) tinha o elemento sobrenatural com vampiros, lobisomens, monstros, bruxas, zumbis, viagens no tempo e fantasmas.

A novela ficou imensamente popular, quando, depois de um ano de exibição, o vampiro Barnabás Collins (interpretado por Jonathan Frid ) apareceu. A censura na época proibia a palavra vampiro, e durante vários episódios referiam-se à Barnabás como o “morto-vivo”, ou “ele vive nos dois mundos”, e coisas assim, até que mais tarde a palavra vampiro foi liberada.

Dark Shadows foi distinguida pelo seu desempenho dramático, histórias memoráveis, e uma música incomum. A série é considerada um marco no mundo das séries e continua a desfrutar do seu intenso status de Cult entre os seus seguidores. Os Diretores Tim Burton e Quentin Tarantino, e a ícone pop Madonna afirmaram que eram fãs da série.

Quando criança, Johnny Depp ficou tão obcecado com Barnabás Collins, que queria ser ele. Pelo que vimos conseguiu.

Após a leitura de alguns episódios, descobri que Barnabás Collins é um personagem cheio de emoções, apaixonado, sofrido, amado e odiado. Rico em detalhes para Johnny e Tim se realizarem em sua criatividade.

Atenção – A continuação deste post narra a trama original, com vídeo e detalhes dos personagens principais. Embora estes spoilers sejam incertos, considerando que a série teve mais de 1200 capítulos e não sabemos qual a abordagem utilizada por Tim Burton.

Depp interpreta o papel de um homem rico, poderoso e playboy cujo grande erro foi partir o coração de Angelique Bouchard, uma bruxa que o transforma num vampiro e faz com que seja enterrado vivo.
Dois séculos depois, Barnabás é solto da sua cova e regressa em 1972 a um mundo profundamente diferente.

Naturalmente, o agora vampiro regressa a casa, descobrindo que todas as suas propriedades e fortuna estão em ruínas, ainda restando alguns familiares, cada um com os seus segredos.
Apresenta-se como primo da família e passa a residir numa casa velha da propriedade.

Nesta época chega também a órfã Victoria Winters para ser uma governanta para David Collins, o menino da família, sentindo que Collinwood detém as chaves para seu misterioso passado.

Voltando ao passado, a novela trouxe uma abordagem gótica, contando a história de Barnabás (Jonathan Frid), que no ano de 1795 apaixona-se por uma jovem, Josette.
Mas, antes de conseguir conquistá-la, ele tem um caso com a acompanhante da jovem, Angelique. Esta, extremamente ciumenta e vingativa, não aceita ser trocada.
Temendo pela vida de Josette, Barnabás engana Angelique deixando que ela pense que ele ficará com ela.

Josette comete suicídio hipnotizada por Angélique.

Após várias reviravoltas, Barnabás finalmente livra-se de Angelique matando-a. Mas, esta, antes de morrer, joga-lhe um feitiço: Ele jamais conseguirá viver com seu verdadeiro amor.

É neste momento que ele é mordido por um morcego. Barnabás adoece e morre, ressuscitando como um vampiro. Ao ser descoberto de sua situação como vampiro ele é trancafiado em um caixão.

Dois séculos depois, Barnabas é inadvertidamente libertado de seu túmulo e emerge para o mundo de 1972.
A partir daí envolve-se com a governanta Victoria Winters, além de Maggie, que é a reencarnação da sua ex namorada, Josette. Mas ela também desaparece misteriosamente.

Barnabás sofre pelos amores perdidos, mas também não consegue se controlar e em várias situações o seu lado vampiro surge e entram cenas de terror, mordidas, etc…

Veja neste vídeo, o relacionamento dele com essas mulheres e sua dor a olhar o quadro da amada na parede da mansão.

Victoria descobre segredos quando faz viagens ao passado, enquanto no presente, feiticeiros, bruxas e vampiros ameaçam a família Collins …

A matriarca Elizabeth Collins Stoddard (Michelle Pfeiffer), é a pessoa que tenta salvar esta família complicada e contrata a psiquiatra, Dra. Julia Hoffman (Helena Bonham Carter), para tratar de sua família.
A Dra Julia é alcoólatra e descobre que Barnabás pertence ao mundo dos mortos vivos. Inicialmente eles são inimigos, mas isto se transforma em uma aliança e Dra. Hoffman se apaixona por Barnabas.

Citação de Barnabás:

Para a maioria dos homens, o tempo corre devagar, oh, tão lentamente, nem sequer percebem isso. Mas o tempo revelou-se a mim de uma forma muito especial. O tempo é um vento impetuoso, gritando que se enfurece por mim, me secando numa explosão única e implacável, e depois continua. Eu estive sentado aqui passivamente, submisso à sua raiva, observando o seu trabalho.
Ouça! Tempo, uivando, minguante!

A utilização de viagens no tempo e universos paralelos também fez parte marcante da narrativa da novela, que permitiu que os atores principais pudessem interpretar personagens diversos ao longo da história. O sucesso da novela gerou dois filmes para o cinema: “Maldição das Sombras/House of Dark Shadows” (1970) e “Na Escuridão da Noite” ou “Nas Sombras da Noite/Night of Dark Shadows” (1971) produzidos pela MGM, já exibidos no Brasil, embora a novela nunca tenha chegado aqui.

Depois de 1.225 episódios, e ainda comandar índices de audiência impressionantes, Dark Shadows terminou sua temporada em abril de 1971, como uma lenda da televisão Cult e uma trabalho único na história da televisão.

Para Depp, é a qualidade antiga do personagem que o levou até Barnabas, em primeiro lugar.

“ Existe algo sobre esse vampiro estar voltando depois de 200 anos para esse mundo moderno, com um toque poético.Tenho um bom pressentimento quanto a isso. Mas o Barnabas de Jonathan era muito especial.”

Imaginamos como Tim Burton fez para compactar mais de 1.200 episódios de “Dark Shadows” em um longa-metragem. A resposta, ao que parece, é manter algumas coisas originais tendo também grande liberdade criativa.

Enquanto Johnny Depp diz que o vampiro principal da novela sobrenatural dos anos 60 – não muda muito do caráter pioneiro por Jonathan Frid na série de TV, a co-estrela Angelique de Eva Green vai ser uma criação muito diferente do retratado por Lara Parker na época.

“Eu não vi a série de TV, mas pelo que eu vi na internet, minha personagem é muito diferente. Ela é americana, loira, legal, estilo anos 70,” Green disse à MTV News. “Ela é uma bruxa sexy, poderosa na cidade, muito legal. Ela tem muitas faces. Sobrenatural ”

Note-se que ela disse “Anos 70”. Parece que Burton vai manter a época do seriado original, Segundo Green, “Dark Shadows”, vai ser o contrário do que já vimos de Burton.

” É algo que ele nunca fez, eu acho”, disse ela. “É muito mais focado nos atores. Poderia ser quase uma peça.”

Vamos aguardar este espetáculo.

«
»