Hollywood Vampires – Rise (Album Review) nota 8,5

Notícias e artigos de qualquer tempo, sobre a carreira musical e participações em álbuns e shows de outros artistas como músico, compositor, produtor.
Regras do fórum
- Não abra tópicos repetidos.
- Não postem links para downloads de filmes ou trilhas sonoras.
- Notí­cias devem ser postadas em PORTUGUÊS. Se você achou a notí­cia em inglês e quer postar aqui, por favor traduza decentemente, ou passe para a moderação providenciar tradução.
- Se a noticia conter muitas fotos faça link para a galeria ou para o forum de fotos.
- Vídeos estão liberados aqui, mas use o bom senso, se o evento tiver muitos vídeos, faça link para o forum de vídeos.
Avatar do usuário
salete
Admin
Admin
Mensagens: 11957
Registrado em: Sex Set 12, 2008 6:53 pm
Localização: Florianópolis SC

Hollywood Vampires – Rise (Album Review) nota 8,5

Mensagem por salete »

Hollywood Vampires – Rise (Album Review) https://www.sonicperspectives.com/album ... kHsVESL1wo
By June 18, 2019

O artigo tem no primeiro parágrafo uma pequena análise da carreira de Alice Cooper e continua dizendo:
(...) na década de 2010, como Cooper entra em seus 70 anos, pode sentir o homem nostálgico sobre seu passado ... mas também talvez com um pouco de melancolia sobre todos seus amigos que se foram antes dele. Isso se tornou o que poderia ser chamado de "My Dead Drunk Friends", como foi ouvido na música de mesmo nome ao vivo com sua banda solo, e também na última música do álbum homônimo Hollywood Vampires, de Alice Cooper, projeto paralelo de estrelato com Joe Perry, do Aerosmith, e o superstar ator e surpreendentemente talentoso guitarrista Johnny Depp.

A banda está em turnê esporádica, mas com alguma confiabilidade desde 2015, quando foi o lançamento do álbum auto-intitulado, e agora estamos à beira do lançamento do segundo álbum da banda, Rise. O primeiro álbum começou de maneira clássica, com narração vampírica pela lenda (não forte o suficiente de uma palavra) Christopher Lee, que desde então nos deixou, em uma triste perda que resume bem o tema subjacente de Hollywood Vampires. O nome da banda é uma homenagem ao drinking club de Alice Cooper durante seus dias de bebedeira mais pesados ​​nos anos 70, com ícones do rock como Keith Moon, John Lennon, Mickey Dolenz e Harry Nilsson. Cooper tem uma maneira de dizer vários contos que é difícil de crer, mas há história suficiênte por aí que, sim, tudo é bem verdade.
Então, o primeiro álbum seguiu o exemplo com o tema de homenagear aqueles velhos amigos bêbados mortos, mas também prestando homenagem aos vivos, apresentando participações especiais de amigos como Paul McCartney e Brian Johnson. Mas, enquanto músicas originais como “Raise The Dead” faziam o álbum funcionar bem, poderia ter deixado alguns ouvintes chateados com o que se tornou um álbum de covers (apesar de muitos deles, como “Jump In The Fire” de Nilsson). São fantásticos).


Rise é o álbum que os fãs de Hollywood Vampires e Alice Cooper esperavam desde que o projeto foi anunciado no início da década de 2010. São quase todos os originais, e as músicas escassas de cover são totalmente sinceras e continuam bem o tema do tributo. Além disso, as contribuições de Joe Perry e Johnny Depp são muito mais notáveis ​​desta vez.
No primeiro álbum, havia tantas aparições de convidados, que entre aqueles e os vocais de Alice Cooper, qualquer um que trabalhasse no centro das atenções metafórico teria um bom tempo lembrando onde apontar e quando. Não é de admirar que Depp e Perry estivessem um pouco perdidos na loucura que está acontecendo no álbum. Agora, cada um deles tem funções vocais principais em algum momento, e suas guitarras parecem muito mais presentes, assim como as contribuições do membro da banda de Alice Cooper e do herói desconhecido Tommy Henriksen, que faz um pouco de tudo no Rise.

Há apenas três covers desta vez, “People Who Died”, de Jim Carroll Band (uma escolha perfeita para este álbum), “You Can't Put Your Arms, Memory”, de Johnny Thunder, com Perry na liderança. vocais, e "Heroes", de David Bowie, que apresenta Depp nos vocais em um momento surpreendentemente sincero no álbum. Também é tremendamente divertido ouvir Depp cantar Bowie, porque o homem é tão camaleão que parece um híbrido estranho de Bowie e do capitão Jack Sparrow em sua entrega vocal, e é estranhamente maravilhoso.

Em outros lugares ao longo do álbum, somos tratados com pequenas peças intersticiais de 30 a 60 segundos que dão uma sensação de álbum completa, ao contrário de uma coleção de singles.
E, no que diz respeito a abordagens estilísticas, há algo para todos aqui:
Temos uma honky-tonkin’ chicken-pickin’ train song em "Welcome to Bushwackers" (com um solo de guitarra de slide de Jeff Freakin 'Beck!);
all-out rockers e com e sem comentários sociais em “I Want My Now” e “The Boogieman Surprise”, um épico sombrio e na forma Cooper-esque de “Mr. Spider ”, que se encaixa muito bem com suas outras peças assustadoras e aranhas de seu trabalho anterior;
um final na forma falada de “Parabéns” (Congratulations), com uma sensação galopante de 6/8 e vários alto-falantes (presumivelmente o trio de Cooper, Perry e Depp) soando, bem, simplesmente incrível e inspirador; e, claro, o primeiro single do álbum, Who´s Laughing Now, uma música que é bastante legal por conta própria, mas pode não ser suficiente para vender as pessoas do álbum na primeira audição. É suficiente dizer, que o primeiro single funciona muito melhor no contexto geral do álbum do que sozinho.

Concluimos que é um álbum que certamente agradará aos fãs do grupo original de Alice Cooper, Dennis Dunaway, Glen Buxton, Michael Bruce e Neal Smith. Mas é um álbum que tem o suficiente de sua própria identidade, que não fica simplesmente na sombra da célebre carreira de Cooper, ou de Perry com o Aerosmith. E de certa forma, ela se liberta de viver completamente no passado, como seu álbum predecessor pode ter sido culpado de fazer.
Agora que temos dois álbuns de Hollywood Vampires, é bom ver a personalidade musical da banda tomando forma cada vez mais, já que o primeiro álbum foi um pouco confuso. Agora, com os dois álbuns se complementando, eles aumentam um ao outro ... elevando a maré e tudo mais.

Com tantas lendas desaparecidas, especialmente na rápida sucessão de perdas trágicas que vimos desde o início de 2016, ou mesmo com a morte de Lemmy no final de 2015, é um bom momento para pausar, olhar para trás e refletir e levar um momento para celebrar os "heróis" que ainda estão conosco hoje.

Label: earMusic
Release Date: June 21st, 2019
Genre: Rock
Band Members:

Alice Cooper / lead and backing vocals, harmonica
Johnny Depp / slide, rhythm and lead guitar, backing vocals, keyboards
Joe Perry / lead and rhythm guitar, backing and lead vocals
Tommy Henriksen / rhythm and lead guitar, keyboards, backing vocals
Glen Sobel / drums
Chris Wyse / bass, backing vocals
Buck Johnson / keyboards, rhythm and lead guitar, backing vocals

“Rise” Track-Listing:

1. I Want My Now
2. Good People Are Hard to Find
3. Who’s Laughing Now
4. How the Glass Fell
5. The Boogieman Surprise
6. Welcome to Bushwackers (feat. Jeff Beck + John Waters)
7. The Wrong Bandage
8. You Can’t Put Your Arms Around a Memory
9. Git From Round Me
10. Heroes
11. A Pitiful Beauty
12. New Threat
13. Mr. Spider
14. We Gotta Rise
15. People Who Died
16. Congratulations



8,5 Excellent
Rise é um álbum incrivelmente forte e fantasticamente cheio de ganchos, com a música ficando com você após a primeira audição. É sombrio, pensativo, misterioso e engraçado, às vezes. Tanta personalidade dos vários músicos brilha, que quase se sente autobiográfica de alguma forma, ou que eles estão tocando em um show da casa só para você. As músicas são excelentes, e é refrescante ter contribuições de composições de todos os três Vamps desta vez, e músicas cover mínimas. Esse aspecto faz com que isso pareça mais uma banda e menos um projeto, o que é sempre uma coisa bem-vinda. Temos a sorte de ter um segundo álbum deste grupo, mas isso não impedirá que este revisor espere egoisticamente que estejamos recebendo um terceiro nos próximos anos.
Imagem

Responder