Fanfics: Pesadelos Frequentes

 

por Kelly Demo Christ

O Juiz Turpin era um homem cauteloso e inteligente. Me adotou como sua protegida quando eu era um bebê, e ao conversarmos sobre a morte da minha família ele era vago, ainda deixando claro que não era meu pai. Eu era muito jovem quando ele me pediu em casamento. O que eu faria? Parecia ingratidão da minha parte negar, mas eu não conseguiria me casar com ele.

Ainda mais depois de me ver Anthony. Quando eu o vi pela primeira vez meu coração disparou. Apaixonei-me por ele, e ele por mim. Ele começou a passar sempre pela minha casa. Procurando por mim nas janelas. Um dia eu lhe joguei uma chave, como pedido de socorro. Para lhe mostrar que eu precisava sair daquele lugar. Não agüentava mais me sentir como um pássaro em sua gaiola sombria, cercada por um gato pronto para atacar.

O juiz descobriu nosso plano e naquela noite, entrou no meu quarto sem aviso prévio. Insultou-me, disse que providenciaria uma nova moradia. Me mandou para o hospício Fogg, onde passei os piores dias da minha vida.

Felizmente, para que fugíssemos, Anthony me tirou de lá antes que eu de fato enlouquecesse. Enquanto buscava uma carruagem, me deixou em uma barbearia. Estava lá quando ouvi um barulho, e me escondi dentro de um enorme baú. Não vi o que aconteceu, eu estava com medo. Mas quando ouvi a voz do juiz fiquei confusa e abri uma fresca do baú, eu o vi sendo morto por um homem que gritava “Benjamim Barker”. Aquele nome me soava familiar, mas naquele instante não o reconheci. Ele retalhou o juiz e depois me viu dentro do baú. Aproximou-se com sua navalha cheia de sangue e me empurrou para uma cadeira. Estava pronto pra me matar quando um grito escoou pela sala.

– Esqueça o meu rosto! – Ele disse antes de ir embora.

Por mais que desejasse, não pude atender aquele pedido. Desde então, os pesadelo estão cada vez mais freqüentes. Alguns são de que aquele homem era Benjamim Barker… meu verdadeiro pai. Estranhamente, ao despertar me sinto triste. Seria por saber que não é real? Talvez…